Yes Wedding

O site YW está em manutenção por conta da nova versão e em breve o login estará normalizado. Obrigada pela compreensão

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Pinterest
O Yes Wedding tem o maior prazer em receber suas sugestões, opiniões e comentários. Quanto as dúvidas individuais, conforme formos recebendo, tentaremos transformá-las em pautas de matérias futuras. Obrigada e volte sempre!

Contato

contato@yeswedding.com.br
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Pinterest

Matérias

Entrevista com a Conceitual Club

16/01/2019

  • Fotos: Divulgação

    Conceitual Club: versatilidade e qualidade musical para o seu casamento

  • Thiago Kiss, sócio idealizador e baixista

  • Sergio Golivek, sócio, produtor e tecladista

  • Luiz Portinari, arranjador e guitarrista

  • Thiago "Balinha" Gomes, baterista

   Priorizar a vivência do público em um show intenso e verdadeiro. Foi pensando nisso que Thiago Kiss idealizou a Conceitual Club. Composta por músicos produtores que atuaram em shows e projetos audiovisuais de artistas conhecidos, como Seu Jorge, Daniela Mercury, Pitty, Elba Ramalho, entre outros, a Conceitual Club é muito mais do que uma banda de casamento. Seu repertório eclético carrega arranjos próprios e modernos com autenticidade e classe.

   Desafiando-se a desapegar dos padrões do mercado de eventos, atua com um casting de mais de 10 cantores incríveis e que atendem o perfil de cada festa, fazendo daquele momento algo verdadeiramente único.

   Nesse bate-papo com o Yes Wedding, Thiago Kiss falou mais sobre os diferenciais da Conceitual Club. Confira!

   Yes Wedding – Como surgiu a Conceitual Club?

   Thiago Kiss/Conceitual Club – A Conceitual Club surgiu da união de dois produtores, eu e o Sergio Golivek. Eu já trabalho no meio artístico há bastante tempo, com diversos artistas como Seu Jorge, Marcelo D2, Luiza Possi, entre outros. E o Sergio também trabalhava como produtor musical, principalmente para bandas de casamento. Nós sempre sentimos que esse mercado de eventos tem um padrão, com bandas que tocam em um formato muito igual, tanto em conceito, quanto repertório, visual e arranjo. E a Conceitual Club surgiu diante dessa necessidade do mercado por algo que não soasse como mais uma banda de casamento. Queríamos criar algo diferente para um público mais exigente, mais chique e elegante, e que fugisse do ‘brega’.

   YW – O que diferencia a Conceitual Club de outras bandas que tocam em casamentos?

   TK/CC – Até onde nós pesquisamos, tanto no Brasil quanto na América Latina, somos a única banda a contar com um casting de cantores. Ou seja, toda festa terá um verdadeiro show personalizado para aquela ocasião. Dentro desse casting, trabalhamos com cantores de diversos estilos, desde o mais pop ou rock, até o mais performático. Isso faz com que consigamos atender o briefing da festa, através da mudança de cantores e não apenas da mudança de repertório.

   YW – Vocês trabalham com algum estilo musical específico?

   TK/CC – Só tocamos internacional, abrindo raríssimas exceções para eventos corporativos. Mas em casamentos, apenas música internacional. Dentro disso, atendemos praticamente tudo, desde anos 60, 70 e 80, até o mais atual, como David Guetta ou Ed Sheeran. O que buscamos é oferecer um repertório que seja mais chique e, ao mesmo tempo, dançante, mostrando para os noivos que eles podem sim ter uma pista agitada do começo ao fim sem precisar cair naquelas músicas chavão. Queremos que a experiência com a banda seja marcante para que tanto noivos quanto convidados não saiam com aquela sensação de que era só mais uma banda, sem nenhuma característica, como tantas outras que já viram mil vezes.

   YW – Como fazem a escolha dos cantores para cada evento?

   TK/CC – A escolha dos cantores é feita junto com os noivos, claro, e dependendo do briefing que eles me passarem e da antecedência, eles podem até indicar os nomes que mais gostam. Mas o que acontece na maioria das vezes é um comum acordo entre as minhas indicações e os preferido deles, isso depois de consultarmos as agendas dos próprios cantores. Nós trabalhamos com artistas que não são desse mercado de eventos, eles são de um meio mais artístico, e esse é o grande diferencial do nosso trabalho: trazemos vozes para interpretarem apenas aquilo que está dentro do perfil do que fazem de melhor. Assim um cantor mais roqueiro vai entrar apenas para quando tocamos rock, se é alguém mais pop vai fazer apenas o pop, e assim por diante.

   YW – E como é feita a escolha do repertório? Como os noivos indicam aquilo que querem na festa?

   TK/CC – Normalmente, eu envio um repertório sugestão já com uma boa base que passe por todos os nossos estilos, sempre dentro do internacional, e o casal pontua o que quer e o que não gosta. Assim nós conseguimos retirar e incluir o que for preciso. Além disso, toda festa conta com cerca de cinco músicas que os noivos queiram e que não fazem parte do nosso repertório. Costumamos fazer duas reuniões: a primeira aproximadamente nove meses antes da festa, quando apresentamos a banda, nosso conceito e forma de trabalho; e a segunda faltando mais ou menos dois meses para o evento e nesse segundo encontro já acertamos todos os detalhes, pois eles recebem o repertório base já depois do primeiro encontro, e isso dá a eles tempo suficiente para personalizar e sugerir o que quiserem para apenas batermos o martelo sobre o repertório final.

   YW – No caso de noivos que fazem questão de ter no casamento algo fora do estilo de vocês, o que costumam sugerir?

   TK/CC – Esse é outro diferencial, pois nos posicionamos como uma espécie de consultoria artística. Se, dentro do briefing dos noivos, percebemos que eles têm a necessidade de algo que não faz parte do nosso repertório e estilo musical, que seja nacional tipo MPB, funk ou mesmo sertanejo, nós conseguimos suprir isso colocando outra atração mais no fim da festa e que também será personalizada como eles querem. Nesse caso, além da Conceitual Club, nós levamos uma banda base, com outro figurino, outra postura, e é feito um segundo show, depois do da Conceitual Club. Assim fica claro o conceito de cada momento da festa, sem ficar enjoativo ou soando ‘brega’. E isso vale para qualquer estilo. Então, se quiserem sertanejo, por exemplo, levamos uma dupla de verdade, e assim por diante.

   YW – Quanto tempo de duração tem o show da Conceitual Club?

   TK/CC – Entregamos um show de duas horas, mais uma apresentação de lounge music de uma hora, totalizando três horas. Esse lounge é outro diferencial nosso, onde colocamos músicas mais atuais, mas que não caberiam na pista de dança. Então, para não correr o risco de deixar a pista esfriar no show principal, criamos esse modelo para o início do evento. É um momento com repertório bem diferente, mas que não soa como um barzinho.

   YW – E qual o segredo da Conceitual Club para manter e pista animada até o fim da festa?

   TK/CC – Primeiro deve existir uma boa coerência entre as músicas, elas devem se conversar e é preciso existir uma linha de raciocínio da primeira até a última para que o público não estranhe a mudança de estilo. Outra coisa é saber como direcionar os pedidos dos noivos, nem sempre o que eles escutam no Spotify funciona na pista de dança.

   YW – Qual dica você deixa para o casal que ainda tem dúvidas sobre qual banda contratar?

   TK/CC – Os noivos devem prestar atenção ao quanto essa banda vai ditar a cara da festa deles. Uma banda que toca como todas as outras, que se veste como todas as outras e que se comporta como todas as outras, corre o risco de deixar aquela festa como todas as outras. (Confira mais dicas da Conceitual Club AQUI)

   Ainda não contratou a banda do seu casamento? Então acesse já nosso guia e agende um horário com a Conceitual Club!
 

Você também
pode gostar de...

Antena Yes

Alessandra Genzini e Eduardo...

O pedido de casamento de Eduardo...

Antena Yes

Heidi Klum troca votos...

Depois de oficializarem sua união em...